sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

Apresentações.


1ª Apresentação
video
2ª Apresentação
video

Relatório de Ourivesaria.

·        Relatório de Ourivesaria
Ao iniciarmos a nova Tecnologia (Ourivesaria) foi-nos pelas professoras feita uma breve apresentação que nos mostrava o que era a Ourivesaria. Onde nos foi explicado que esta se divide entre Joalharia, para jóias, e Prataria, mais para objectos.
Para seguir o ramo de Ourivesaria podemos optar por seguir Artes Plásticas, para trabalhos mais de autor, ou Design, onde se deve ter a preocupação por criar um produto de forma a este poder ser realizado em série.
Foram-nos também apresentados locais que podemos vir a frequentar, se quisermos seguir este ramo, no caso do Ensino Superior podemos frequentar a FBAUL/ESAD (escola privada), UNL/IPT ou a Faculdade de Belas Artes.
Se por sua vez optarmos pelo Ensino Particular (Não Superior) podemos frequentar a AR.CO, Contacto Directo, CINDOR ou a Fundação Ricardo Espírito Santo.
Depois seguiram-se as saídas profissionais, se optarmos por trabalhar por Conta Própria podemos trabalhar num atelier, oficina, loja/galeria ou escola. No caso de optar por Conta de Outrem podemos arranjar emprego num atelier, empresa, loja/galeria ou escola.
Quando a apresentação terminou foi-nos pedido que desenhássemos formas que gostássemos, ou que achássemos interessantes a partir de livros emprestados pelas professoras.
Na aula seguinte foi-nos feita uma nova apresentação, que nos mostrava jóias feitas ao longo do tempo, as suas diferenças e as suas diferentes formas de execução, sendo-nos assim mais tarde apresentadas as várias técnicas usadas em Ourivesaria, que são a Cinzelagem, que é uma técnica que trabalha a prata; a da Conformação onde é utilizado um martelo para criar curvas na peça recorrendo a um molde chamado de embutideira; a Dobragem onde o material precisa de ser reaquecido para não se partir; e a Soldadura onde é usado um Tincal para ajudar a soldar duas peças. Devido à grande intensidade deitada pelo maçarico apenas se consegue pegar na peça com duas pinças.
Para cortar materiais é utilizada uma armação de serra, estando a peça segura por uma estelheira (peça de madeira).
Para limpar as peças é utilizado um processo com o nome de branqueamento, onde é utilizado ácido sulfúrico e água, fazendo assim a prata ficar com a cor semelhante à de uma folha de papel.
Nesse mesmo dia também começámos as experimentações de materiais. O material que tive oportunidade de experimentar foi arames, plástico, missangas, papel, plasticina, fios, lã, entre outros, a maior parte reciclável.
Nas aulas que se seguiram dedicámos-nos por completo à realização das nossas três peças, utilizando os materiais outrora experimentados.
No meu caso, para a realização das minhas peças utilizei arame, fitas, cera de vela, e cordéis.
Depois de terminadas as peças tivemos uma onde se realizaram apresentações de um trabalho pedido pelas professoras nas primeiras aulas, que consistia em fazer uma análise de uma jóia.
A jóias que eu apresentei foi um Anel Pérola de Bruno da Rocha, que tem como principal tema a Natureza.

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

Desenhos e Maquete Final.






Peças realizadas, baseadas nos desenhos.




Trabalho da jóia.


Nome: Anel Pérola
Dimensões: Desconhecidas
Autor: Bruno da Rocha 
Materiais: Prata e uma Pérola
Acabamentos: Polido, Satinado, Oxidado
Data: 2010
Técnicas:  Cravação e Cinzelagem
Função: Anel
 
Desde 1993 como criador, Bruno da Rocha expressa em cada nova colecção o seu talento através de uma harmonia estética arrojada, cujo destaque vai para os motivos florais e geométricos.
As peças são em prata, nos vários tipo de acabamento, ora polido, ora satinado, ou até oxidado conferindo relevo e contraste, complementados pelas pérolas e zircões, definindo a sua ligação com a Natureza.